Dieta da proteina: como funciona? como fazer?


Dieta da proteína pode te ajudar a chegar ao peso ideal, veja como funciona, seus efeitos e muito mais!

Aqui em nosso site, volta e meia tratamos sobre o emagrecimento e a vida saudável. Como por exemplo quando falamos se o suco de couve emagrece ou sobre os perigos do orlistat. Você já ouviu falar da dieta da proteína? Há diversos tipos de dietas, sejam elas saudáveis ou não, o fato é que conquistam um número notório de adeptos, nem que seja só para testar. Neste contexto, apenas algumas versões da dieta da proteína é apontada como integrante do grupo saudável. No texto a seguir, confira suas principais características e saiba como fazer.

Dieta da proteína funciona?

Naturalmente, em meio a tantas dietas e particularidades do organismo humano, é possível que os resultados apresentem variação de pessoa para pessoa. Não seria diferente ao abordar a dieta da proteína. A diferença é que enquanto algumas dietas não possuem nenhum tipo de embasamento científico, aponta-se que estudos já foram realizados e indicaram resultados positivos ao restringir as calorias com uma proporção maior de proteínas consumidas. Conheça os pontos positivos e negativos:

Dieta da proteína benefícios

As hipóteses que sustentam a positividade que essa dieta pode apresentar incluem, de forma geral, os grandes benefícios da proteína, como seu efeito termogênico, maior saciedade durante o dia, preservação da massa muscular no decorrer do processo de emagrecimento, entre outros. No entanto, a exata proporção da ingestão de proteínas e a eficácia dos cardápios propostos na dieta ainda precisam de maiores comprovações.

dieta da proteina

Fatores negativos

Já em relação aos pontos negativos, são basicamente os mesmos que envolvem outros tipos de dietas restritivas: as mudanças radicais de hábitos alimentares. Dessa forma, torna-se difícil seguir por muitos meses, principalmente sem contribuir com uma reeducação alimentar. Esses são fatores muito favoráveis para o temido efeito sanfona, uma vez que o ganho de peso também pode ser muito rápido. Além disso, ao fugir dessa forma da dieta, é possível sentir alguns sinais, como problemas para se concentrar.


Como seguir a dieta da proteína?

O que se nota em dietas tradicionais, com exceção as radicais, é a composição do cardápio de 55% a 60% carboidratos, abaixo de 30% de gorduras e 15% de proteínas. No entanto, uma das indicações para a dieta da proteína, seria reduzir os carboidratos para em torno de 40% a 50% e obter a proporção de proteínas de aproximadamente 22% a 45%.

No entanto, há versões da dieta da proteína que o maior foco, de fato, é nessa propriedade, reduzindo de forma mais severa o carboidrato. O grande risco neste cenário é a falta de um cardápio balanceado e equilibrado. A ingestão de carboidrato “permitida” fica em torno de 20 gramas, que deve ser obtida de vegetais. Por essa razão, é importante buscar por um profissional nutricionista para obter as orientações mais corretas para o seu quadro e alcançar suas metas sem comprometer sua saúde.

cardapio direta da proteina

Dessa forma, para seguir a dieta é indicado remover das refeições os alimentos que apresentem alto teor de carboidratos. Itens como o frango, bacon, cenoura, cogumelos e ovos são alguns dos mais indicados, pois além do teor de proteína, apresentam valores nutritivos que podem contribuir com sua saúde e aumento da saciedade. Deve-se levar em consideração que existe mais de uma versão e que ao consultar um médico, será possível estabelecer a mais adequada para o seu dia a dia.

Aviso Importante

Para que você consiga alcançar seu objetivo com a Dieta da Lua, procure por um profissional de sua confiança que entenda do assunto, como um nutricionista e um educador físico. Esses profissionais poderão lhe indicar a alimentação que mais de adapta à sua rotina e gostos, além de exercícios que ajudarão você a perder peso ainda mais rápido e conquistar mais saúde.

Sugestões e dicas de novos artigos podem deixar nos comentários!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *