Terçol: o que? por que ocorre? como evitar e cuidar?

Terçol é mais comum do que se imagina, veja por que ele ocorre quais as medidas para se curar dele!

Você com certeza conhece alguém que ja teve terçol, ou mesmo aconteceu com você alguma vez. Para quem nunca nem ouviu falar, vamos explicar direitinho nesse artigo, acompanhe conosco.

Embora assuste um pouco pelo aspecto no olho, o terçol é de fácil tratamento, embora seja um pouco “chato” de se lidar. Indo direto ao assunto, o Terçol é uma inflamação que aparece nas glândulas das pálpebras. É também conhecido como hordéolo e fica bem próximo da raiz dos nossos cílios. Inicialmente, o terçol aparece na forma de um pequeno caroço, apresentando vermelhidão na pálpebra, dor e calor.  Dento de dois a três dias instala-se o quadro e, na maior parte das vezes, a resolução é espontânea, havendo a drenagem e o desaparecimento do terçol. É muito raro, mas o terçol pode evoluir para casos mais graves, resultando numa infecção em toda a região orbitária. É muito comum acontecer mas não é contagioso

Como o terçol surge?

terçol

O terçol surge, geralmente, quando há contaminação e obstrução das glândulas de Zeiss e das glândulas de Mol pela bactéria Staphylococcus aureusEstas são glândulas sebáceas presentes nas pálpebras junto aos folículos pilosos, responsáveis por produzir os cílios. A principal função destas glândulas é evitar o ressecamento e sintetizar gorduras.

Geralmente a doença apresenta diversos sinais como dor, calor, rubor ou vermelhidão, que são sintomas típicos de infecções provocadas pela infestação de bactérias e quase sempre desaparece e drena espontaneamente. O processo inflamatório das pálpebras é semelhante ao que acontece no surgimento da acne ou espinhas da pele, com o fechamento de uma glândula sebácea e assim, ocorre a contaminação da mesma por uma determinada bactéria. Pessoas que sofrem de blefarite (uma inflamação crônica das bordas das pálpebras) e acne são mais propensas a desenvolver terçol.

Como tratar?

Para tratar o terçol, a regra é recorrer a compressas de água morna e pomadas antibióticas, que vão matar as bactérias.

Inicialmente, o passo mais importante durante o tratamento é a limpeza das pálpebras. Com as mãos limpas, esfregue de forma delicada as pálpebras com água morna.

A tendência é de que, se for tratado corretamente, o terçol desapareça depois de uma semana.

Se o caso estiver sido ocasionado pela infecção por bactérias, o médico oftalmologista deverá prescrever a aplicação de pomadas ou colírios com antibióticos.

Anúncio Patrocinado:

terçol tratamento

Apesar de parecer simples, o problema deve ser levado a sério. Afinal, se não for bem tratado pode evoluir para quadros mais sérios, como a celulite orbitária, que é uma infecção da parte gordurosa da pele, em volta do olho.Para evitá-lo, os médicos recomendam lavar a região dos olhos com xampu neutro (pode ser aquele infantil, que não causa ardência nos olhos).

O Tersol  requer mais cuidado quando  causa muito incômodo, dor e vermelhidão no local.O terçol precisa sim, ser avaliado por um especialista, pois muitas vezes é necessário usar colírios ou pomadas oculares que contenham antibióticos e anti-inflamatórios mas isso só deve ser usado seguindo recomendação médica. No caso de pessoas que apresentam blefarite, estas,  precisam fazer o tratamento específico pois podem aumentar a chance de ter outros hordéolos. Algumas pessoas, especialmente idosos e adolescentes podem apresentar hordéolos ou calázios de repetição. Quando isso ocorre é preciso usar antibiótico por via oral (comprimidos) por um tempo prolongado

Importante!

Em pessoas acima dos 50 anos, é preciso fazer o diagnóstico diferencial entre terçol e câncer de pele.
Quando o terçol é muito grande ou não é tratado adequadamente, pode haver a formação de um calázio. Trata-se de um nódulo dentro da pálpebra que, embora não atrapalhe a visão, traz prejuízos estéticos. O calázio pode ser retirado com cirurgia.

Procure sempre seu médico, não se baseie somente em sites da internet para diagnosticar seu problema! Não nos responsabilizamos pelo mal uso das informações aqui apresentadas, que são de domínio público na Internet.

Dúvidas ou sugestões de novos artigos podem deixar nos comentários! Até a próxima!

 

Recomendados para você:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *