Ritalina: o que é? Quando usar?


Já ouviu falar sobre a Ritalina? Recebeu indicação médica para usar? Algum concurseiro te indicou para ter melhor resultado nos estudos? Saiba a verdade sobre ela!

ritalina pilula da atenção

A Ritalina é a alternativa medicamentosa mais comum para tratar o TDAH – Déficit de Atenção e hiperatividade. A substância é o cloridrato de metilfenidato, é um psicoestimulante do grupo das anfetaminas, indicada especialmente para alguns tipos de problemas de funcionamento do sistema nervoso.

Todavia, para além da indicação médica, algumas pessoas têm feito uso desse medicamento para turbinar os estudos (doping intelectual) para passar em provas difíceis. Será que essa medicação é realmente eficaz para esse fim? Em se tratando de medicação, quais os efeitos colaterais?Gostaria de saber essas respostas e obter mais informações? Siga a leitura, avalie e faça seu julgamento sobre o assunto.

Ritalina: vende feito água!

Hoje, o Brasil é segundo pais que mais consome essa medicação no mundo. Além disso, o consumo por não-portadores de TDAH, vendas ilegais pela internet, abuso por jovens em baladas ou para melhores resultados em provas ou no trabalho, já assumiram proporções muito assustadoras e assemelhadas a outras situações de tráfico de drogas. Uma simples pesquisa pelo Google mostra como é fácil comprar pela internet.

Recentemente, tem havido diversas críticas em relação ao aumento muito elevado (mais que 1.000% de aumento no Brasil) na prescrição de medicação para crianças, especialmente Ritalina (metilfenidato).Ritalina

Um remédio tarja preta!!

ritalina pilula da atençãoA faixa preta assusta. É uma reação extremamente comum e necessária, pois o uso desse tipo de remédio não é para ser feito de forma indiscriminada e sem prescrição médica!

O ideal é buscar um bom diálogo com o profissional médico que fez o diagnóstico, considerando as especificidades de cada um, as indicações e efeitos colaterais do tratamento para TDAH com Ritalina ou outros remédios devem ser regularmente mantidas sobre a informação e o controle do profissional médico especialista em neurologia.


Pílulas não ensinam novos hábitos!

Muitos perguntam porque a medicação não consegue resolver todos os problemas. A resposta é bem simples. Nós, pessoas inseridas na sociedade e na cultura,  temos nossas habilidades, competências, hábitos e padrões comportamentais desenvolvidos ao longo dos anos. Por este motivo,  nossa forma de interagir com o mundo é muito particular e singular de cada um e assim muito que aprendemos são comportamentos adquiridos  especialmente durante a infância.

Quando se introduz a medicação, a capacidade de controle do foco da atenção e outras funções executivas melhoram. Isto, porém, não é suficiente para desenvolver todas as habilidades necessárias, nem construir novos hábitos e formas de agir.  Por isso tenha em mente que:

  1. A medicação atua diretamente sobre o cérebro pela via química, por isto seus efeitos são limitados;
  2. Para melhorar sua atenção, concentração, memória e foco de maneira permanente,é preciso saber a raiz do problema;
  3. Acompanhamento com profissional psicólogo é fundamental e este deve estar associado ao tratamento com o médico neurologista;
ritalina-limites

Ritalina: muito mais fácil que educar e dar limites!

De um modo geral, tratamentos exclusivamente baseados em medicação, mesmo que tragam efeitos positivos de curto prazo, se mostram insuficientes para atender às necessidades, especialmente com organização, planejamento, cumprimento de prazos, auto-controle, equilíbrio emocional, capacidade de relacionamentos, entre outros.

Efeitos Colaterais:

Os efeitos mais observados nos pacientes em uso de Ritalina são:

  • falta de apetite;
  • dor de cabeça;
  • aperto no peito;
  • taquicardias;
  • insônia;
  • aumento da pressão arterial;
  • tremores;
  • sudorese excessiva;
  • boca seca;
  • surgimento de crises de ansiedade;
  • pânico ou surtos psicóticos;

Complicações mais sérias, como convulsões e arritmias cardíacas são improváveis se respeitadas as doses recomendadas e o histórico do paciente. Neurologistas comumente afirmam que quando bem aplicada, esta substância é segura. Entretanto, existem outras maneiras de superar os obstáculos da vida e cabe a você decidir o que quer fazer. Não se esqueça: não brinque com a sua vida. Ela é seu bem maior e é sua inteira responsabilidade o que faz com ela!

Desta maneira, concluímos refletindo sobre a competitividade do mundo moderno, que muitas vezes faz com que as pessoas coloquem o seu bem-estar em segundo plano, mas até que ponto isso valerá a pena? Para quem procura mais concentração de forma saudável, pode ser interessante conhecer o suplemento modalerta, sugiro a leitura do artigo.

Gostou desse artigo? Deixe seu comentário, dúvida ou opinião!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *