Prisão de ventre: por que ocorre e como cuidar


Prisão de ventre tem como principal sintoma a dificuldade de evacuar. Não existe uma regra comum a todas as pessoas para classificarem a frequência que seria normal para evacuar, pois o mesmo pode variar entre 3 a 12 vezes por semana. Este transtorno, geralmente é mais comum nos idosos, crianças e mulheres durante a gestação. Para algumas pessoas até pode ser normal ficar até 3 dias sem evacuar, desde que não haja os sintomas da prisão de ventre, mas já é considerado um sinal de que o intestino não está funcionando como deveria.

Prisão de ventreQuais são os principais sintomas da prisão de ventre?

Dentre os vários sintomas da prisão de ventre podemos destacar:

-Sensação de não ter evacuado o suficiente;

-Ter que fazer muito esforço na hora de evacuar;

-Inchaço ou dor abdominal;

-Quando o incomodo é muito pode ocasionar até vomito;

-Perda de peso sem motivo aparente;

-Presença de sangue nas fezes;

-Fezes endurecidas e ressecadas;

-Sensação de fraqueza e febre;

Prisão de ventreQuais as causas da prisão de ventre?

A Prisão de ventre pode ocorrer por diversos motivos, mas uma das principais causas são a alimentação pobre em fibras, consumo exagerado de proteína animal, uso de álcool em excesso, comer muitos alimentos industrializados, a falta de ingestão de líquidos principalmente a água e o sedentarismo. Outra causa frequente que pode comprometer o bom funcionamento dos intestinos é não evacuar na hora que os intestino se manifesta.

A depressão junto com a ansiedade pode ter o percentual de culpa na prisão de ventre, associado a doenças mais graves como câncer colo retal, hemorroidas e fissuras anais. O uso de certos medicamentos e alterações no metabolismo podem ajudar no aparecimento da prisão de ventre.

Prisão de ventreComo prevenir a prisão de ventre?

Existem algumas mudanças de habito que podem auxiliar na diminuição dos sintomas causados pela prisão de ventre, dentre ela:


– Recomenda-se uma mudança de habito no consumo de alimentos dando prioridade ao que sejam ricos em fibras como frutas com casca, vegetais e cereais;

-Dar uma atenção especial no aumento da ingestão de líquidos de preferência água evitando bebidas com álcool que pode ser responsável em deixar as fezes a endurecerem;

-Se for sedentário iniciar algum tipo de atividade física de sua preferência;

-Cuidar até a posição para sentar no vaso, sendo indicado que seja confortável para que as fezes possam sair mais facilmente;

-Ir ao banheiro sempre o intestino se manifestar com vontade de evacuar;

-Tentar evitar se estressar por qualquer motivo e diminuir as crises de ansiedade. As nossas emoções tem uma forte influência sobre o bom ou não funcionamento dos intestinos;

-Evitar o uso frequente de laxantes, pois eles podem acabar viciando o intestino e ainda irritando a mucosa diminuindo a rugosidade do intestino, dificultando a liberação das fezes;

-Tirar do cardápio alimentos que contenham muito açúcar, sódio e gordura trans. Dentre estes alimentos estão refrigerantes diet, cafeína e isotônicos.

-Mastigar bem os alimentos, isto ajuda na digestão e acaba evitando aquele mal-estar no intestino. A boca possui uma enzima amilase que dá o início a todo o processo.

Espero ter contribuído para tirar as dúvidas sobre prisão de ventre! Cuide-se!

Guia em Ebook – Adeus Intestino preso

Pela primeira vez no Brasil, você pode ter acesso ao Guia mais completo e avançado de tratamento para Intestino Preso, capaz de acabar com suas dores e desconfortos, fazendo você ir ao banheiro todos os dias, eliminando fezes macias, sem remédios, sem supositórios e sem exercícios.

chás que soltam o intestino

Esse material foi desenvolvido com base nos estudos apresentados nesta página e em outras pesquisas de universidades dos Estados Unidos e da Inglaterra.

Com o Guia Adeus Intestino Preso, você saberá exatamente o que fazer, como fazer, em detalhes, para parar de gastar dinheiro com medicamentos e supositórios, e dar início a uma vida mais tranquila, confortável e alegre, sem dores e desconforto.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *