O que é síndrome da fadiga crônica e como resolver


Já ouviu falar sobre a síndrome da fadiga crônica? Essa doença tem atingido cada vez mais pessoas, principalmente agora, em tempos de quarentena que estamos passando a maior parte do tempo em casa. Se você não conhece e não faz ideia do que estamos falando, continue acompanhando e descubra tudo sobre a síndrome da fadiga crônica. 

A síndrome da fadiga crônica é um condição que, no geral, afeta principalmente as mulheres e pessoas dos 20 aos 50 anos, entretanto, pode também atingir crianças. E diferente do que muitos imaginam, os sintomas costumam ir muito além do cansaço. 

As causas que levam ao aparecimento da síndrome da fadiga crônica ainda são desconhecidas. Porém, fatores psicológicos ou orgânicos, como infecções, podem estimular o aparecimento dos sintomasComo o próprio nome já diz, a fadiga crônica caracteriza o cansaço e a falta de energia constante. O que diferencia a fadiga crônica do desgaste diário, é que com ela o desgaste mental e os problemas emocionais ganham destaque. Se você sente cansaço constante e desgaste mental, mesmo depois de um longo repouso, se atente pois pode ser um dos sintomas da fadiga crônica.

Saiba agora os principais sintomas dessa condição e jeitos de evitá-la. 

Sintomas da fadiga crônica

Apesar de ser claro que o principal sintoma da fadiga crônica é o próprio cansaço e a falta de energia, esses sintomas chegam acompanhando de vários outros como:

síndrome da fadiga crônica

  • Dor muscular;
  • Dor nas articulações;
  • Dor de cabeça;
  • Sono contínuo;
  • Exaustão constante;
  • Cansaço mental
  • Falta de concentração;
  • Perda de memória;
  • Dor nas articulações; 
  • Dores musculares;
  • Garganta inflamada;
  • Aumento dos gânglios linfáticos, principalmente no pescoço e nas axilas. 

 

Se qualquer um dos sintomas citados acima durarem mais que seis meses, é possível que você esteja sofrendo de síndrome da fadiga crônica.

 

E antes de procurar formas para resolver este problema, precisamos entender qual é sua principal causa. E é disso que vamos falar agora. 

 

Causas da síndrome da fadiga crônica

Apesar de existirem diversos estudos sobre essa condição, as causas dela ainda são indefinidas e desconhecidas por cientistas e médicos.

Ao que tudo indica, ela acontece por diversos fatores presente no nosso dia a dia que prejudicam nosso bem estar sem que nós percebamos. Saiba agora quais são os principais motivos. 

Infecções virais

Um dos principais motivos encontrados nos estudos sobre a síndrome da fadiga crônica mostram que, infecções virais podem ser uma das principais causas da síndrome da fadiga crônica. 

Os motivos que levam a essa condição ainda são desconhecidos. Porém, ainda é difícil entender como a infecção traz os sintomas da síndrome da fadiga crônica. 

 

Estresse

O estresse é outro motivo que contribui diretamente para a fadiga e principalmente para a fadiga crônica. 

Esse estresse, muitas vezes está relacionado por questões familiares e principalmente questões de trabalho. 

 

Problemas hormonais 

Os problemas hormonais, quando muito recorrentes, podem ser um das causas da síndrome da fadiga crônica.

Apesar de ser um fato muito presentes nas pesquisas sobre essa síndrome, a forma com que os problemas hormonais podem ter influência na síndrome da fadiga crônica também é desconhecido.


É difícil ao certo dizer quais são, de fato, os sintomas da síndrome da fadiga crônica, porém, foi observado que os indícios citados acima, podem ser recorrentes a essa condição. 

Se você acredita que tem algum dos sintomas da síndrome da fadiga crônica, ou se já está ciente que é uma condição frequente na sua vida, fique tranquilo pois ela tem solução e alguns métodos de tratamento para aliviar e evitar este problema na sua vida.

Tratamentos para a síndrome da fadiga crônica

Como ainda não sabemos ao certo a causa para essa condição, fica mais difícil encontrarmos tratamentos que acabam definitivamente com ela. Entretanto, existem alguns métodos que melhoram e aliviam os sintomas. Saiba agora quais são eles:

Medicamentos e fitoterápicos

fitoterapico

Um dos jeitos mais comuns de evitar que a síndrome da fadiga crônica se torne um problema recorrente em sua vida, é através de remédios e fitoterápicos, que após uma consulta com um médico de confiança, pode ser usado para melhorar o bem estar da pessoa que apresentam os sintomas. 

Um dos fitoterápicos mais recomendados por quem sofre com a síndrome da fadiga crônica, é o Cordyceps sinensis. Este fitoterápico é extremamente recomendado por quem sofre dessa síndrome, já que ele alivia o cansaço constante, proporcionando mais força e energia para as pessoas que utilizam. 

Em sua composição, o Cordyceps sinensis contém diversos nutrientes que são essenciais e contribuem para manter o bom funcionamento do organismo, tais como fibras, proteínas, minerais, vitaminas, gorduras e também carboidratos. 

Por ser um produto natural, este medicamento não apresenta nenhuma contraindicação, porém, antes de fazer o uso do mesmo, é importante que você consulte um médico de  confiança. 

Caso haja alguma alergia ou reação ao medicamento, é essencial consultar um médico. 

Terapia

Além do tratamento com medicamentos e fitoterápicos, outro método recomendado é através de terapia com um psicólogo ou analista. 

Como foi mencionado, muitas vezes os principais sintomas da síndrome da fadiga crônica se manifestam pelo estresse do dia a dia, relacionado ao trabalho e problemas familiares. Por isso, um tratamento psicológico pode ser recomendado para descobrir como não associar esses problemas com a fadiga crônica.

Em alguns casos, os especialistas da área tendem a recomendar um tratamento terapêutico acompanhado de exercícios físicos leves, que apesar de cansar o corpo, podem contribuir significamente para a melhora dessa síndrome.

A terapia é muito importante nesse processo já que muitas vezes, essa síndrome pode contribuir para o aparecimento de outros problemas como ansiedade, depressão e leva também a mudança do estilo de vida, a terapia pode ajudar a entender e controlar esses problemas. 

É importante lembrar que antes de realizar qualquer um desses tratamentos, é imprescindível a consulta com algum médico para que ele te diga com mais exatidão qual dos tratamentos é mais recomendado para você. 

Gostou do artigo? Compartilhe com seus amigos e não se esqueça de continuar acompanhando nosso blog para mais super artigos.

 

Ofertas dos nossos anunciantes:


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *