Dietas

Dieta Paleolítica: conheça seus benefícios!


Dieta paleolítica tem se tornado um verdadeiro sucesso em nossa sociedade devido aos seus resultados efeitos e sérios, veja como funciona, nas palavras de uma especialista no assunto

*Por Flaviane Calônego e Equipe Guiadocorpo.com

A nutrição é uma ciência em constante evolução. Porém, nesse ramo, nem sempre a modernização é a chave para nos adequarmos ao cotidiano atual. A dieta paleolítica, por exemplo, propõe uma alimentação simples e natural, inspirada no que consumiam os nossos ancestrais e facilmente encontrada em supermercados, feiras livres e ervanários. O que não se sabe é que essa dieta aumenta a energia e a disposição do corpo, além de ser uma excelente escolha para quem pratica esportes de alta performance, como o crossfit.

Em treinos de altíssima intensidade, os alimentos da paleolítica trazem resultados rápidos, pois promovem a reeducação alimentar necessária para que o atleta aproveite 100% da potencialidade do esporte. Assim, ele passa a aumentar sua performance e pode apresentar resultados excepcionais em relação à queima de gordura e ao ganho de massa magra, em comparação com as dietas tradicionais.

Dieta paleolítica – do que se trata

dieta paleolitica

Diferentemente da maioria das dietas, a paleo não foca sua atenção na quantidade, mas, sim, na qualidade das calorias consumidas. Ela é fácil de seguir e exclui, justamente, os maiores vilões da nossa saúde: o açúcar, os alimentos industrializados e o excesso de carboidratos. Essa combinação causa rápido emagrecimento, mas ajuda também com o fortalecimento muscular.

 

Nessa dieta, a pessoa deve comer o quanto achar suficiente para o seu corpo – ou seja, não existe contagem de gramas dos alimentos. Os principais objetivos são o emagrecimento, o controle da glicemia, o aumento da resistência e da força, a hipertrofia e uma alimentação mais natural, sem glúten e sem lactose

O fato é que a paleolítica é baseada em alimentos de verdade. Hortaliças (como repolho, abóbora, tomate, pimentão e cebola), carnes, sementes, frutas, ovos, nozes e castanhas, raízes e tubérculos (como batata-doce, batata-inglesa e aipim) são a base dessa dieta. Já os alimentos plantados, como cereais (aveia, trigo, centeio, cevada, arroz e milho) e leguminosos (feijões, lentilha e ervilha), e os processados são restritos, pois o acúmulo de glicose vinda deles se transforma em gordura.

Além disso, um estudo da Universidade Leste do Michigan, dos Estados Unidos, comprovou que a dieta paleolítica é boa para a saúde do coração, o que a torna indicada também para sedentários e obesos. Quando comparada à dieta oficial da Associação Americana de Cardiologia (AHA), ela foi mais eficaz na redução de lipídeos do sangue e na melhoria dos marcadores de colesterol. Os pacientes também apresentaram maior perda de peso e ingestão de menos calorias.

Dieta paleo – cardápio

Confira o que é incluído no cardápio da dieta paleo e o que não é

Dieta paleolítica

* Flaviane Calônego é nutricionista clínica e especialista em metabolismo humano pelo Hospital das Clínicas (RS). Seu trabalho tem foco em emagrecimento, nutrição esportiva, longevidade e hipertrofia. Hoje atua na Soulleve Fitness- Clínica do bem-estar, em São Paulo (SP).

Importante

Sempre procure seu médio nutricionista antes de fazer qualquer tipo de dieta, ainda mais se for por conta própria.Não nos responsabilizamos pelo mal uso das informações aqui apresentadas, que são de domínio público na internet.Sempre procure o especialista, não somos consultores nem indicamos nenhuma receita de dieta!

Conclusão

Bem pessoal, esperamos que as dicas tenham ajudado e que consigam com sucesso emagrecer e ter uma vida mais saudável e plena.

Já falamos aqui em outro artigo sobre uma receita de pao sem farinha low carb que é muito boa

Sugestões de outros artigos podem deixar nos comentários


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *