Clomid: ajuda mesmo na fertilidade


Saiba tudo sobre o clomid e se ele realmente atua em casos de infertilidade

Quando você e seu parceiro decidem engravidar, é um momento muito especial e que envolve muitas tentativas. Isso porque vai depender se a mulher é adepta de algum método contraceptivo e também da fertilidade de seus óvulos, assim como do homem. Alguns podem encontrar mais dificuldade na hora de engravidar, enquanto outros conseguem de primeira.

Existem no mercado alguns medicamentos que são indicados para ajudar na fertilidade, mas antes de sair usando, é essencial que você conheça bem todas as propriedades e o que esse medicamento promete. Hoje você conhecerá o Clomid, um medicamento que pode ser indicado para quem está tentando engravidar. Veja tudo a seguir!

Descubra o que é Clomid

Clomid é um medicamento cujo princípio ativo é o citrato de clomifeno. Ele é usado por muitas mulheres que desejam engravidar, pois é um medicamento que atua como indutor da ovulação e por isso mesmo, não deve ser usado por qualquer pessoa. Clomid deve ser consumido principalmente por mulheres que sofrem com infertilidade, pois ele irá ajudar na ovulação.

Para contribuir na ovulação, o Clomid potencializa a ação de alguns hormônios que favorecem o amadurecimento dos óvulos para que eles consigam ser fecundados e então surgir a gravidez. A ovulação passa a acontecer em, no máximo, 2 semanas após o consumo desse medicamento, mas ele não deve ser consumido sem acompanhamento profissional.


Como tomar Clomid para engravidar

Antes de começar o uso de Clomid, é fundamental buscar aconselhamento médico para se certificar de que essa é a melhor decisão para o seu caso. O tratamento de Clomid é realizado durante 3 ciclos menstruais, podendo ser seguidos ou alternados. As mulheres devem tentar engravidar após o tratamento completo, mas pode acabar acontecendo antes disso e, nesses casos, o tratamento deve ser interrompido.

De acordo com cada mulher e com seu médico, serão definidos os detalhes do tratamento como a dosagem e os intervalos. No primeiro ciclo menstrual, o tratamento consiste em ingerir 1 comprimido de 50 mg por dia, durante 5 dias. Já no segundo ciclo, a mesma dose deve ser mantida se ocorrer a ovulação. Caso não ocorra, a dose deve ser aumentada para 1 comprimido de 100 mg por 5 dias. O terceiro ciclo deve seguir as mesmas recomendações.

Não é indicado consumir mais do que 100 mg por dia e, caso após o tratamento a mulher não ovule, não deve continuar com o mesmo.

Contraindicações de Clomid

Clomid é um medicamento que atua diretamente nos hormônios femininos, por isso ele possui algumas contraindicações importantes que devem ser levadas em consideração. Clomid não deve ser consumido por mulheres que sejam alérgicas a qualquer componente da fórmula. É recomendado fazer um teste de gravidez antes de iniciar o tratamento, para garantir que não há gestação, afinal Clomid não é recomendado para gestantes.

Clomid também não deve ser consumido em casos de doenças hepáticas, cisto no ovário, hipotireoidismo, hipertireoidismo e outros problemas desse tipo. Pessoas diabéticas também não devem recorrer a Clomid, pois ele é rico em açúcar.

Sempre procure seu médico! Não nos responsabilizamos pelo mal uso das informações aqui apresentadas que são de domínio público na internet e não substituem de nenhuma forma uma consulta médica

Sugestões de outros artigos podem deixar nos comentários.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *