Saude

Primeira CNH, quais os problemas de visão que podem te prejudicar


Confira os problemas de visão que podem te atrapalhar no exame e evite surpresas ao tirar a sua primeira habilitação 

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), existem 2,6 milhões de pessoas com miopia em todo o mundo. No Brasil, o número é de 59 milhões, cerca de 25% da população residente no país. Portanto, é um problema recorrente.

A visão embaçada prejudica a vida dessas pessoas. Não apenas na hora da leitura como também no exame da Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Afinal, a visão é algo imprescindível para guiar um veículo.

Sabendo disso, preparamos um conteúdo para você ficar por dentro dos problemas oculares que podem atrapalhar o motorista, as infrações para condutores que não seguirem as regras e quais os riscos da não utilização de lentes ou óculos ao guiar o veículo. 

Problemas de visão comuns 

Hipermetropia

Baixa visão para perto, boa visão para longe e fortes dores de cabeça, especialmente perto dos olhos, são três sintomas comuns da hipermetropia. E por que isso acontece? 

problema de visao

Antes de mais nada, é necessário falar sobre como enxergamos. A imagem que vemos passa pela córnea, cristalino e retina, que se comunica com o nervo responsável por levar a informação para o cérebro. Uma vez no cérebro, a imagem é processada. 

Os portadores de hipermetropia tem a imagem projetada atrás da retina. Com isso, a pessoa faz um esforço a mais para enxergar corretamente, ocasionando fortes dores de cabeça, como comentado anteriormente. 

A principal causa da hipermetropia não vem de fatores externos. Nada disso, ela costuma atingir pessoas que nascem com os olhos pequenos. Por outro lado, cirurgias de catarata e miopia também podem gerar a hipermetropia residual. 

Desse modo, a hipermetropia impede a visualização de mensagens no celular e a leitura de um livro ou revista, por exemplo. 

Astigmatismo

O astigmatismo é um dos problemas de visão mais comuns. Quem tem, enxerga as pessoas ou objetos como se eles tivessem um sombra ao redor deles. Não apenas de longe como também de perto. 

O motivo disso são as córneas distorcidas, que causam múltiplos pontos focais. Assim, a imagem não é projetada de forma correta para a retina. 

Para entender um pouco mais da visão de indivíduos com astigmatismo, vamos a dois exemplos. Eles não enxergam placas de trânsito e possuem dificuldades para ler textos no computador. 

Isso pode causar dores ao redor dos olhos, aquela sensação de cabeça pesada ao passar horas e mais horas em frente as telas. Desconforto com a luz e piora da visão à noite também são outros sintomas bem recorrentes. 

 

Por fim, vamos acabar com dois mitos populares. Assistir televisão de perto e ler com baixa luz não tem relação com astigmatismo. Ou seja, essas práticas não causam ou pioram o problema ocular. 

Miopia

O principal sintoma é a piora de visão para longe, com imagens embaçadas e sem definição. Isso se agrava após o pôr do sol, impossibilitando dirigir a noite, por exemplo. 

Contrair os olhos para enxergar melhor e dores de cabeça ao final do dia também caracterizam o problema.

Problema esse que é causado pela projeção da imagem no local errado. Ao invés da imagem aparecer na retina, ela surge um pouco antes da retina. 

Horas em frente a telas, como celulares e computadores, ajudam no surgimento desse problema ocular, recorrente em filhos de pais míopes, principalmente de pais com alto grau da doença. 

 

A maior parte das pessoas têm os primeiros sintomas durante a puberdade, entre 11 e 14 anos. Ela só é estabilizada a partir dos 20 anos. 

 

Vale ressaltar que a miopia não tem cura. Além disso, os míopes possuem mais chances de desenvolver catarata, glaucoma e até mesmo o descolamento da retina. O seu tratamento é por meio do uso de óculos ou lentes de contato. 

 

Para deixar nítido, a hipermetropia é baixa visão para perto. Enquanto isso, a miopia é o posto, é a dificuldade em enxergar para longe. Já o astigmatismo reúne essas deficiências, ocasionando dificuldade para longas e curtas distâncias. 

 

Quem tem esses problemas oculares provavelmente faz uso de óculos ou lentes de contato. Quem não usa, geralmente não sabe que possui um problema nos olhos. Assim, a visita ao oftalmologista é fundamental em todas as fases da vida. 

Problemas de visão e a CNH

Os vícios de refração citados nos parágrafos anteriores influenciam, e muito, na hora de tirar a primeira CNH. Afinal, sua visão será colocada à prova com uma série de testes oculares, incluídos no exame de aptidão física e mental. 

 

Para os testes, pessoas com miopia, astigmatismo, hipermetropia e qualquer outra ametropia devem levar os óculos ou lentes. 

 

A aprovação nas categorias A e B, para carros de passeio e motos, respectivamente, só acontece se você tiver a visão de 20/40 em cada olho. Isso se aplica para pessoas com a visão nos dois olhos. Monoculares necessitam de 20/30 no olho bom e percepção luminosa com o olho ruim.  

 

Nas categorias C, D e E, para transportes com mais de oito pessoas, caminhões e tratores, por exemplo, a exigência é de 20/30 no melhor olho e 20/40 no olho afetado. 

 

Caso aprovada, a pessoa que usa óculos terá a letra A em sua carteira de habilitação, indicando a obrigatoriedade das lentes. 

 

De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), o condutor que estiver sem lentes estará cometendo uma infração gravíssima. Neste caso, a punição é de sete pontos na carteira e R$ 293,47 de multa. Vale lembrar que a CNH é suspensa com 40 pontos. 

Além de cometer uma grave infração de trânsito, o motorista coloca a sua vida em risco. Assim como a vida dos demais condutores e pedestres. Para evitar acidentes e, claro, a reprovação na primeira CNH, visite um oftalmologista. 

Não visitá-lo pode contribuir para o aparecimento e a evolução de diversos problemas oculares. No pior dos cenários, problemas como catarata e glaucoma levam a perda total de visão.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *