O que é dependência química: saiba como tratar


Você sabe o que é dependência química? Apesar desse termo estar no cotidiano de muita gente, não é todo mundo que sabe a real definição do termo e o que isso significa para as pessoas.

Atualmente, o Brasil tem ao redor de 3,5 milhões de usuários de drogas, sendo que a maioria consome maconha, embora haja um grande número de usuários de cocaína, crack e outras. Isso sem falar nas drogas lícitas, como o cigarro ou o álcool.

Por isso, se você considera que tem dependência química ou que tem um amigo ou familiar que começa a dar os primeiros sinais disso, este artigo será útil. Nele, veremos o que afinal é essa dependência, como identificá-la e tratá-la.

Interessado? Então siga a leitura abaixo!

O que é dependência química?

Para poder saber como reconhecer ou tratar sinais de um dependente químico, é necessário entender completamente o que é dependência química e a sua evolução dentro do conhecimento humano.

dependencia quimica

Inicialmente, se entendia que a dependência era uma característica pessoal de cada um de nós. Ou seja: alguns nasciam com maior dependência química e outros com menos.

Eventualmente, com o surgimento e evolução de mais ciências sociais e da psicologia, foi possível compreender melhor a questão da dependência química analisando não só a sua vertente biológica, mas formando uma compreensão tríplice: biologia, psicologia e sociologia.

No geral, a dependência química pode ser compreendida pela situação em que uma pessoa se torna dependente de uma substância química não-natural ao seu corpo. Por exemplo, a pessoa necessita de uma droga lícita ou ilícita para poder operar naturalmente. Vale lembrar que a dependência pode assumir outras vertentes também, que não somente a química. Por exemplo, existem pessoas dependentes de sexo, de trabalho e até mesmo de tecnologia.

Como reconhecer os sinais de dependência?

Saber o que é dependência química é só um primeiro passo para tratar essa situação que acomete tantas pessoas e causa danos sérios a tantas vidas no Brasil e no mundo.

No entanto, é importante evoluir a questão e aprender como identificá-la, tanto em você mesmo, quanto em pessoas próximas na sua vida.


Existem alguns sinais bem comuns que podem ser um indicativo de uma evolução ou do desenvolvimento de um quadro de dependência química.

Por exemplo, a perda de interesse nas atividades normais do dia a dia, chamada de síndrome amotivacional. Basicamente, a pessoa perde o interesse em realizar certas ações, como tirar o lixo, assistir TV, enfim.

Há também uma mudança sensível de comportamento, especialmente com os familiares e cônjuges, incluindo algumas explosões de raiva ou hostilidade. Também há muita perda de motivação nessas relações, incluindo aquelas de trabalho. Por falar nele, o dependente químico apresenta uma queda de produtividade significativa, inclusive deixando de cumprir com algumas responsabilidades.

Para completar os sintomas comportamentais, o dependente começa a apresentar comportamento paranóico de maneira bem intensa.

Na parte física, os sinais são um pouco mais viscerais, incluindo a gastrite, diarreia, vômitos e dores abdominais. Em termos mentais, ainda há um aumento no número de acidentes do dia a dia e até mesmo uma perda de memória significativa.

Existe tratamento para a dependência química?

Sim, existe tratamento para a dependência química, embora seja uma situação que depende muito de cada paciente e de diversos elementos.

Em alguns casos, em que o dependente se aprofundou demais na situação, pode ser necessária uma internação involuntária, ou seja, o que acontece quando a família resolve internar a pessoa em uma clínica de reabilitação.

drogas

Em outros casos, isso pode não ser necessário, bastando ao dependente agir por conta própria e procurar um tratamento adequado.

Normalmente, o tratamento para a dependência envolve uma parte física, em que se tenta desintoxicar o corpo para livrar o organismo da necessidade química, enquanto se faz uma parte mental e social.

A parte mental envolve o apoio psicológico para ajudar a superar o problema, enquanto o tratamento social visa remover do cotidiano do dependente os elementos que levam até o consumo de drogas ou do elemento que causa a dependência.

E aí, aprendeu o que é dependência química? Como deu para ver, é uma situação muito complicada e que pode causar muito dano, mas que também pode ser resolvida com o tratamento correto e muita dedicação.

Se você gostou do assunto, não esqueça de deixar abaixo um comentário sobre o assunto!

 


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *