Noticias

Estudo afirma que Viagra pode diminuir o risco de Alzheimer!




Novidade deixou os cientistas excitados! Estudo mostrou que Viagra pode diminuir o risco de Alzheimer em até 69% , entenda os dados!

Uma novidade recente nos EUA, tem deixo as pessoas de cabelo em pé. É que o medicamento mais conhecido para tratar a disfunção erétil, o famosos viagra, está relacionado a um risco menor de Alzheimer. Sim, não é zuera, meme ou piada. Entenda a seguir o estudo que diz que o viagra pode diminuir o risco de Alzheimer.

Viagra pode diminuir o risco de Alzheimer ?

De acordo com um novo estudo publicado na segunda-feira na revista Nature Aging, o sildenafil – o nome genérico do Viagra – foi associado a uma redução de 69% na incidência de Alzheimer em uma análise em grande escala de mais de 7 milhões de pacientes. É importante entender primeiramente,  que este estudo não está estabelecendo uma relação causal entre o sildenafil e a redução do risco de Alzheimer; simplesmente sugere que há uma relação significativa que deve ser explorada por meio de testes clínicos reais. Mas as descobertas são uma surpresa agradável, e as últimas em uma série de estudos recentes que destacam o potencial do uso de remédios antigos para tratar doenças até então incuráveis.

Viagra pode diminuir o risco de Alzheimer

Novidade excitou os cientistas

“Antes deste estudo, não esperávamos identificar o sildenafil” como um medicamento candidato para o tratamento da doença de Alzheimer, disse Feixiong Cheng, pesquisador da Cleveland Clinic e principal autor do novo estudo.

Espera-se que o Alzheimer afete mais de 13,8 milhões de americanos até 2050, o que significa que é fundamental começar a identificar novas terapias econômicas que possam melhorar a vida dos pacientes ou até mesmo impedir que a doença progrida.

Uma fonte inexplorada de novos tratamentos podem ser os medicamentos existentes, de fabricação barata e com efeitos colaterais conhecidos toleráveis. Cheng e seus colegas começaram seu estudo como uma triagem de mais de 1.600 medicamentos aprovados pelo FDA, usados ​​para tratar outras doenças e condições. Eles concentraram sua pesquisa em drogas que visam o acúmulo de proteínas beta-amiloides e tau no cérebro – um sinal característico da doença de Alzheimer que leva a alterações neurodegenerativas.

Essa triagem identificou alguns medicamentos com potencial para reverter esses acúmulos de proteína, e o sildenafil (que, além da disfunção erétil às vezes também é prescrito para tratar a hipertensão), surgiu como o melhor candidato. Cheng e seus colegas descobriram vários estudos em animais que observaram anteriormente que o sildenafil pode atenuar o Alzheimer, e também realizaram testes de laboratório em células cerebrais humanas que comprovaram os efeitos da droga.

O que concluiu o estudo ate agora?

Na etapa final do estudo, os autores examinaram um enorme banco de dados de mais de 7 milhões de pacientes com Alzheimer para ver se os usuários anteriores e atuais de sildenafil já experimentaram melhores resultados da doença. Eles descobriram que os usuários de sildenafil tinham 69 por cento menos probabilidade de desenvolver Alzheimer do que os não usuários ao longo de seis anos. O sildenafil também foi associado a taxas mais baixas de Alzheimer do que drogas como losartan e metformina, que já estão sendo estudados em ensaios clínicos de Alzheimer.

Importante

Há de se lembrar que o estudo ainda não está finalizado e carece de mais investimentos e mais fases de testes. Mas até o momento, os resultados tem sido bem promissores. O que não significa que voce deve sair tomando viagra por sua conta sob a desculpa de evitar o alzheimer. A droga tem efeitos potentes, e pode trazer problemas para quem tem problemas do coração. Ela somente deve ser usada com indicação do seu medico e também so pode ser comprada com receita.

Novidades iremos adicionar na materia em breve!

Por fim já falamos em outro artigo sobre como fazer uma massagem gostosa em casa, leia e aproveite.

Sugestões podem deixar nos comentários!

Fonte: DailyBeast

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *