Noticias

INSS tem aumento de quase 50% nos pedidos de pensão por morte


O instituto Nacional do Seguro Social (INSS) viu crescer, no tempo de apenas 1 ano – ou seja, de 2020 até aqui – o número de pedidos para receber o benefício da Pensão por Morte. E esse aumento se deu em quase 50%.

O percentual de aumento na quantidade de pedidos de Pensão por Morte para o INSS foi de 47%. Ou seja, o número de pedidos em um ano praticamente dobrou. E com isso, um número cada vez maior de solicitações desse tipo estão aguardando por uma resposta por parte do INSS.

inss pedido morte

Para que se tenha uma ideia de como este aumento no número de pedidos por Pensão por Morte do INSS foi significativo, seguem os dados logo abaixo.

  • Número de pedidos de Pensão por Morte do INSS no mês de março de 2020:

  • 153.293 pedidos

  • Número de pedidos de Pensão por Morte do INSS no mês de março de 2021:

  • 224.293 pedidos

Portanto, em março deste ano, se verifica que houve 70 mil pedidos de Pensão por Morte do INSS a mais do que no mês de março do ano passado (2020). Definitivamente, este é um aumento bastante significativo e que não deve ser ignorado. Afinal, estas estatísticas aparentemente simples revelam um cenário complexo para o país que viu tantas pessoas chegaram a óbito no último ano, especialmente em decorrência do avanço da pandemia do novo vírus pelo país.

O que está por trás do aumento de pedidos de Pensão por Morte do INSS

O aumento no número de pensões que foram concedidas pelo INSS de 2020 até aqui, bem como o número de solicitações que estão aguardando pela análise do instituto, tem acompanhado este aumento no número de pedidos que estão sendo enviados pelos potenciais beneficiários ao órgão público.

Considerando somente o período do mês de janeiro até o mês de março deste ano, já foram feitos um total de 194.856 pedidos, um número que representa um aumento de 45% em relação aos mesmos 3 (três) meses do ano passado.

Infelizmente, esta situação não é tão surpreendente quando nos atentamos para o fato de que há uma pandemia ainda em curso no país e no mundo. Uma pandemia que já levou a óbito milhares de pessoas e que continua a registrar estatísticas alarmantes em diversas regiões pelo território nacional.

Portanto, quando se analisa a situação de crise sanitária que se percebe presente, não é tão difícil prever que um aumento significativo no número de pedidos de Pensão por Morte para o INSS aconteceria em um prazo tão curto como esse de apenas 1 (um) ano.

INSS – Aumento nos pedidos de Pensão por Morte era previsão fácil de acertar

A partir do recente aumento no número de óbitos que o Brasil registrou em função do contágio pelo novo vírus, é certo que, de uma forma quase que automática, haveria um aumento no número de pedidos de pensão por morte. Certamente, não teria como esse número de pedidos de pensão por morte ao INSS diminuir. Isso só seria possível de acontecer caso a pandemia no Brasil não tivesse atingido níveis tão altos desde o ano passado, uma situação que continua a estar presente em nosso dia a dia.

Portanto, não resta a menor dúvida de que o novo coronavírus tem uma relação direta com o aumento na quantidade de solicitações de Pensão por Morte para o INSS. E cabe ao instituto, portanto, dar conta de toda essa demanda de pedidos que quase dobrou do ano anterior até o atual.

Nesse sentido, como as agências do INSS ficaram fechadas por um bom período de 2020, é fato que o atendimento a estas demandas deve sofrer com alguma lentidão. Afinal, apesar da digitalização dos serviços e da inclusão de diversas possibilidades dentro do aplicativo Meu INSS, isso não significa que os problemas da fila de atendimento tenham sido resolvidos por completo.

De acordo com Adriane Bramante, que é a atual presidente do Instituto Brasileiro de Direito Previdenciário – IBDP, o acúmulo de solicitações de Pensão por Morte que se encontram em análise no INSS também é um resultado da demora na atualização dos sistemas do instituto logo depois da aprovação da Reforma da Previdência do ano de 2019. Portanto, esta é mais uma situação que acaba por aumentar a fila de pedidos deste benefício em específico.

Duvidas, podem procurar o site oficial do inss ok pessoal?

Fonte: UOL


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *