Melatonina ganha popularidade e críticas. Saiba o porquê, os riscos e benefícios do hormônio do sono.


Nunca foi tão fácil encontrar Melatonina à venda em cápsulas na Internet, ou até mesmo em farmácias de manipulação por todo o Brasil.

E o motivo é muito simples! Desde novembro de 2017 a ANVISA liberou a importação da substância através de sites de empresas localizadas no exterior ou a entrada da substância junto à bagagem de mão para uso próprio, além disso, a manipulação da substância passou a ser permitida com a apresentação da receita médica.

Aliado a estes fatores, está o fato de que cada vez mais os brasileiros têm sofrido com distúrbios relacionados ao sono. Dados da Associação Brasileira do Sono de 2017, estima que 73 milhões de brasileiros sofram com algum tipo insônia ou problemas ligados ao sono.

Mas, não é só no Brasil que o uso da Melatonina tem se popularizado, nos Estados Unidos, onde a Melatonina é popularmente conhecida, estima-se que as vendas mais que dobraram entre 2007 e 2012, é o que apontam estimativas do FDA (órgão como a ANVISA nos Estados Unidos).

Em entrevista para a Associação Médica Paulista, o professor de fisiologia no Instituto de Ciências Biomédicas da USP, José Cipolla Neto confirma este crescimento, ao se referir que “existe muita gente tomando, bem como muitos médicos prescrevendo”.

melatonina

E de olho neste mercado cada mês mais aquecido, empresas como a Vitaminas Prime, que oferece o produto diretamente dos Estados Unidos, vem investindo grandes esforços para facilitar a compra deste produto pelos brasileiros. 

Mas, comprar Melatonina por conta própria pode ser uma tarefa complicada, e desaconselhada, devido à variedade de dosagens e marcas.

Antônio Mello, gerente de atendimento ao cliente da Vitaminas Prime, nos afirma que “comprar melatonina nem sempre é uma tarefa fácil, pois, além das diversas marcas disponíveis no mercado hoje em dia, há também a questão da dosagem que varia de 300 microgramas até 10 miligramas da substância por dosagem”.


Ele ainda recomenda que, “é importante que o individuo que está procurando a Melatonina, ele tenha primeiramente buscado uma orientação de um especialista, isso irá evitar o risco de comprar a dosagem errada ou até mesmo fazer o uso errado da Melatonina”.

Mas com o aumento do consumo, e da automedicação, também crescem as críticas dos especialistas sobre o uso exagerado da Melatonina.

“Para aqueles que querem começar a tomar Melatonina”, diz ainda José Cipolla Neto, “é necessário primeiramente entender os benefícios, os ricos e principalmente procurar um especialista, e nunca fazer a automedicação”.

Benefícios da Melatonina

A Melatonina é um hormônio produzido pela glândula pineal, localizada no cérebro. E a principal função deste hormônio é regular o relógio biológico. Ou seja, informar para o cérebro que é hora de dormir e hora de acordar.

 

Por isso, indivíduos com problemas para dormir ou para permanecer dormindo durante toda a noite, podem ser beneficiados pelo uso da Melatonina sintética (como é conhecida a Melatonina vendida em cápsulas, comprimidos ou líquida).

 

Um estudo brasileiro, coordenado por Mario Peres, neurologista do Hospital Albert Einstein e da Escola Paulista de Medicina, também identificou que o uso de comprimidos contendo Melatonina pode ser muito eficaz no combate a dores de cabeça frequentes, e sem os efeitos colaterais d os tratamentos convencionais.

 

Além disso, a Melatonina tem sido alvo de vários estudos no tratamento e na prevenção de alguns tipos de cânceres, como os de mama e próstata. Isso se deve ao fato que ela é uma substância antioxidante e diminui a acidez do organismo, prevenindo o aparecimento, e até mesmo, o crescimento de tumores.

 

Riscos da suplementação excessiva de Melatonina

Não há casos de morte conhecidos pela literatura causados pela overdose de Melatonina. Ou seja, a Melatonina é uma substância relativamente segura.

Mas, o seu uso em excesso pode trazer efeitos colaterais como náuseas, dores de cabeça, sonolência diurna, ou até mesmo um desequilíbrio do relógio biológico, o que poderia agravar o quadro de insônia de um individuo.

Conclusão

A Melatonina sintética é uma boa opção para quem sofre com problemas de insônia ou dificuldades para dormir, porém, buscar a ajuda de um especialista sempre é melhor remédio.

A automedicação é desaconselhada, mesmo que a substância não oferece risco de vida.

 


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *