Moda

Visagismo de orelha tá na moda; veja como combinar piercings e brincos


A demanda por brincos em furos secundários tem crescido no Brasil e no mundo. Saiba o que levar em consideração na hora de definir o look.

visagismo
Creditos da imagem: Reprodução/Instagram

O visagismo é o conjunto de técnicas estéticas usado para valorizar a beleza de um rosto. Maquiagem, cosméticos, tintura e corte de cabelo, design de sobrancelhas… Tudo isso são práticas que fazem parte dessa verdadeira arte, aplicada sempre por um profissional especializado, que busca traduzir o estilo e a personalidade do indivíduo. Esse conceito – desenvolvido e trazido para o Brasil através do artista plástico Philip Hallawell – também abrange brincos e piercings, uma vez que o visagismo de orelha está na moda atualmente.

Principalmente após algumas celebridades aderirem ao visagismo auricular, a prática tornou-se mais popular: nunca quisemos fazer tantos furinhos na orelha! No entanto, combinar brincos e piercings nem sempre é uma tarefa simples, mas com algumas dicas a seguir você vai notar que não é tão complicado assim:

piercing orelha

Combine cores e materiais

Claro que a ideia não se trata de escolher brincos idênticos, mas brincos de design e material semelhante podem combinar muito bem. Juntos, inclusive, podem criar uma composição ainda mais bonita, em harmonia com todas as peças. Por outro lado, prata com ouro ou cristal com ouro provavelmente não seriam boas escolhas. A dica, neste caso, é escolher apenas uma característica marcante da joia parecida com as demais. Uma opção moderna é o uso de duas ou mais argolas.

brincos samantha

Procure usar tamanhos diferentes

A dupla brinco ponto de luz e argola grande está em alta! Além disso, posicionar argolas na parte superior da orelha e harmonizar com um brinco longo no lóbulo pode ser aquele detalhe que faltava no seu figurino. Outra combinação que caiu no gosto do pessoal é o ponto de luz (aqueles com pedrinhas) com o ear cuff; brinco de design variado que abrange uma região maior da parte de baixo da orelha.

Brincos clássicos no segundo furo

Os brincos com um design mais clássico são ótimas opções para serem usados no segundo ou no terceiro furo, pois são fáceis de combinar. Pequenos brincos de pérolas, brincos ponto de luz e até argolas podem funcionar muito bem nesses casos.

Brincos neutros no segundo furo

Essa é uma boa opção para quem não faz tanta questão de trocar de brincos com bastante frequência. Ao escolher um brinco neutro para o segundo furo, fica mais fácil combinar com qualquer outro que estiver embaixo. Outra boa dica é buscar peças em tamanho menor, para não conflitar com outras joias.

Não ligue para a simetria

Em certos aspectos do visagismo e da moda em geral, a simetria pode ser um fator imprescindível para a harmonia de um look. No entanto, quando se trata de brincos e piercings de orelha, você pode esquecê-la e fazer como bem entender. Qual o motivo de não usar dois brincos em uma orelha e quatro na outra? Ou que tal cinco em uma e apenas uma na outra? Você decide – o mais legal é quebrar a monotonia em arranjos ímpares.

Que tal brincos de pressão?

Curtiu essa tendência do visagismo auricular, mas não está nem um pouco a fim de furar a orelha loucamente? Tudo bem, para esses consumidores existem os brincos de pressão, os famosos piercings falsos.

Esse tipo de acessório tem ganhado força recentemente no mercado, que passou a ofertar peças mais variadas, por serem uma alternativa bastante prática para quem não quer passar por todo o processo de espetar e cuidar da orelha. Outro fator importante para a popularização desse tipo de brinco é o fato de que as semijoias disponíveis são de qualidade bastante convincente. Elas são uma boa pedida também para quem adora inovar, variar e mudar as combinações no decorrer dos dias.

Uma coisa é certa: os brincos e os piercings de orelha são totalmente democráticos, pois podem expressar o estilo de alguém bem discreto, ao mesmo tempo em que também combinam com quem gosta de composições mais chamativas. As possibilidades vão desde os conjuntos mais delicados até as harmonizações mais ousadas e agressivas.

Se você pretende mergulhar nessa tendência, mas ainda não furou a orelha o suficiente, procure pesquisar bastante para buscar indicações e encontrar melhores referências de profissionais e produtos do mercado. Para quem já possui várias joias ou semijoias penduradas, a recomendação é tomar cuidado sempre, pois a possibilidade de inflamação ou de formação de queloide ainda existe, mesmo depois de muito tempo após os furos.

Ofertas dos nossos anunciantes:


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *