Fibras na alimentação: veja a importância delas para seu organismo!


Fibras podem ajudar bastante nosso sistema digestivo, veja como elas agem no corpo e como consumir as melhores!

As fibras alimentares são substâncias derivadas de polissacarídeos formadores das moléculas de celulose, mas você conhece a importância delas para seu organismo? Leia nosso artigo até o fim e descubra os benefícios!

fibras alimentares

É bastante comum as pessoas ingerirem um dieta rica em açúcares e carboidratos, esquecendo-se assim de outras substâncias importantes para o equilíbrio do corpo. A verdade, é que quando mais variada for a nossa alimentação (proteínas, vegetais, oleoginosos, fibras e etc), mais saúde teremos.

Por isso nesse artigo de hoje, trazemos como assunto a importância das FIBRAS como fonte inesgotável de bem estar e saúde para o nosso organismo. Siga essa leitura e conheça todos os benefícios de uma refeição rica em fibras, saiba ainda como age ela no seu organismo e conheça também os alimentos mais ricos em fibras para uma alimentação balanceada!

O que são fibras alimentares?

indo direto ao assunto, podemos dizer que elas são substâncias de origem vegetal e não fornecem energia, mas são fundamentais ao funcionamento dos intestinos, embora não sejam digeridas pelas enzimas presentes naqueles órgãos.

Sendo assim, para quem pretende emagrecer e cuidar da saúde, as fibras são mais do que uma opção, são uma necessidade. Quase todos sabem dos seus benefícios para o funcionamento intestinal, mas as coisas boas vão muito além disso.

As fibras que constituem os alimentos facilitam o trânsito intestinal, combatendo a prisão de ventre, prevenindo o câncer de cólon e ajudando a evitar hemorroidas e outras lesões. Elas também reduzem a absorção de açúcares e gorduras, causando uma melhoria dos níveis de glicemia e do perfil lipídico no sangue.

Bom, as fibras são alimentos naturais presentes na natureza, que podemos classificar como 2 tipos:

1. Fibras solúveis

Sua maior fonte está relacionada às frutas, verduras, legumes e em farelos de aveia. Este tipo de fibras está diretamente relacionado à prevenção de doenças relacionadas ao coração e também atuam na diminuição dos níveis de colesterol.

2. Fibras insolúveis
Já as fibras insolúveis são encontradas em todos os tipos de grãos de cereais (milho, grão de bico, soja) e em todas as frutas quando consumidas com casca.

Essas fibras estão direcionadas a prevenção de doenças relacionadas ao intestino, devido a sua principal ação em atuar na aceleração do bolo fecal dentro do intestino.

fibras alimentares

Por que é importante digeri-las?

Um dos benefícios que as fibras alimentares oferecem é o efeito de saciedade. Elas aumentam o volume da dieta, sem adicionar calorias, ajudando a diminuir a fome a assim contribuindo para o controle de peso e com essa grande variedade de alimentos industrializados, grande parte da população passou a consumir cada vez mais produtos processados, ricos em lipídeos, carboidratos simples e pobres em fibras alimentares.


Esse padrão alimentar tem forte associação a doenças crônicas não-transmissíveis, como obesidade, diabetes e doenças cardiovasculares. Cada vez mais descobre-se associação entre o baixo consumo de fibras e constipação intestinal, hemorróida, neoplasia maligna de cólon, obesidade, intolerância à glicose, dislipidemias e doenças cardiovasculares.As fibras também estão presentes em maior quantidade em verduras, legumes, leguminosas, frutas, cereais integrais (arroz, pão, macarrão, biscoito, etc) e cereais matinais (aveia, farelo de trigo, semente de linhaça, etc).

Uma dieta rica em fibras alimentares é importante para auxiliar a manutenção da saúde do nosso intestino. É que ela contribui para a diminuição do risco de desenvolvimento de hemorróidas e pequenas bolsas no cólon, também conhecida como doença diverticular. Algumas fibras podem ser fermentadas no cólon e alguns pesquisadores têm estudado como esse processo pode ajudar na prevenção de doenças nesse órgão.

Lista de alimentos ricos em fibras

Como regra geral, são alimentos de origem vegetal, e quanto mais crus e com suas cascas, melhor.

  1. Alimentos integrais: Pão integral, macarrão integral, arroz integral;
  2. Cereais: Aveia, cevada, granola, gérmen de trigo, cereais tipo All Bran;
  3. Verduras: alface, couve, rúcula, acelga, agrião, aipo, espinafre, brócolis;
  4. Legumes: abóbora, cenoura, beterraba, pimentão;
  5. Grãos: diversos tipos de feijões, grão de bico, lentilha, ervilhas, milho (inclusive pipoca).
  6. Frutas (preferência com casca): maçã, pera, uva, goiaba, ameixa, caqui, abacaxi, damasco, abacate, figo, laranja, mamão, morango, framboesa, pêssego, tomates (sim, tomate é uma fruta);
  7. Nozes e sementes: amêndoa, chia, linhaça, nozes.

Conheça ainda essa tabela abaixo com a quantidade delas nos alimentos:

fibras alimentares

 

Equilíbrio na dieta: não exagere com esses alimentos!

Apesar dos bons efeitos das fibras alimentares possuem, o excesso delas pode causar alguns problemas, como desconfortos gastrointestinais, incluindo não só dores abdominais, mas gases (flatulência), estufamento, contrações involuntárias, extremo fluxo intestinal ou constipação intestinal.

fibras alimentaresAs fibras alimentares consumidas em alimentos integrais, parcialmente refinados ou mesmo em verduras, frutas e legumes, todas apresentam valor na dieta e todas devem ser computadas de forma balanceada.

Para manter um bom equilíbrio no consumo de fibras alimentares e não prejudicar a dieta, é importante equilibrar a quantidade de fibras digeridas.

Vale lembrar que o bom senso sempre se aplica: é indispensável manter uma base de mescla entre alimentos integrais, refinados e isso será mais do que suficiente para um bom equilíbrio.

Fibras alimentares, apesar de serem grandemente importantes na dieta, devem ter recomendações bem orientadas e jamais exageradas.

Por isso procure um nutricionista, faça uma avaliação e não esqueça da importância de exercícios físicos regulares! Cuide-se!

Ficou com alguma dúvida ou gostaria de fazer algum comentário? Escreva para a equipe do Guia do Corpo, logo abaixo!

Referências: Diabetes.org


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *