Herpes: como ocorre? Como tratar?

Conheça tudo sobre  herpes, e veja como evitar e ou tratar se você já tiver contraído. Acompanhe tudo aqui.

Nosso corpo vive constantemente sobre a ação de vírus e bactérias, normalmente lidando bem com isso. Porém, há momentos em que uma série de fatores faz com que nossa imunidade fique em baixa, propiciando o surgimento de algumas doenças, como o herpes que é sobre o qual falaremos hoje. Com certeza você já teve ou conhece alguém que já teve. Embora seja uma doença até comum, é importante tratar e seu tratamento é meio “chatinho”, por isso deve ser levado bem a sério. Acompanhe conosco e entenda melhor como ela age em nosso corpo.

O que é a herpes?

herpes

Indo direto ao assunto, o Herpes simples é uma infecção viral comum que se caracteriza pelo surgimento de pequenas bolhas ao redor dos lábios e/ou dos genitais – mas que também podem aparecer em qualquer outra parte do corpo.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia, cerca de 90% da população brasileira já entrou em contato com vírus do herpes, o Herpes Simplex Virus (HSV), embora a maioria ainda não tenha desenvolvido a doença.

Quais os tipos de herpes existentes?

Podemos dividir a herpes em 3 tipos:

– Herpes tipo 1: é o mais comum, sendo caracterizada pelas lesões orais;
– Herpes tipo 2: responsável pelas lesões nas regiões genitais e contraído por meio do ato sexual;
– Herpes tipo 3: também conhecido como herpes Zóster, é uma infecção originada do mesmo vírus que causa varicela (catapora). Os principais sintomas são dor e lesões na pele que persistem por semanas ou até meses.

Apesar de não existir uma cura definitiva para o herpes simples, a medicina desenvolveu diversas formas de tratamento que permitem reduzir os sintomas e acelerar a cicatrização das lesões.

Quais os sintomas da doença?

A primeira aparição costuma ser a mais sintomática, pois neste momento ainda não temos anticorpos formados. Em geral, o quadro é de múltiplas vesículas (pequenas bolhas) agrupadas, com áreas de inflamação na base e ao redor. As lesões são muito dolorosas e podem vir acompanhadas de mal estar, linfonodos (gânglios) aumentados e febre.

Os sintomas começam com uma coceira seguida muitas vezes de ardência e dor. A área acometida pelo herpes costuma ficar vermelha antes de pequenas bolhas de água se formarem no local. A ferida se desenvolve e pode, inclusive, resultar em uma lesão maior, principalmente se os primeiros sintomas não forem aliviados com medicação — portanto, é indicado buscar ajuda médica.

Anúncio Patrocinado:
   

Quando ocorre o aparecimento da doença?

Muitas pessoas que já contraíram o vírus, sabem que volta e meia ele pode se manifestar, sem aviso. Alguns fatores que podem fazer com que o vírus do herpes saia da latência e provoque o aparecimento das vesículas tão incômodas nos lábios são:

— Estresse emocional
— Estafa mental (como no período anterior às provas, entrevistas de emprego, apresentações etc.)
— Exposição ao sol intenso
— Insônia e falta de um sono restaurador e profundo
— Alimentação inadequada e carências nutricionais
— Lábios ressecados
— Alterações hormonais típicas da menstruação

 É possível evitar?

Existem algumas medidas a serem adotadas, mas ainda assim, não há 100% de garantia de que ele será evitado. A transmissão do herpes ocorre por contato íntimo com a área infectada. O Herpes vírus é muito contagioso; o período de maior risco de transmissão é durante as crises e nos 2 dias que a antecedem, podendo também ocorrer mesmo quando não há lesões aparentes. Alguns pacientes secretam o vírus mesmo fora das crises, podendo transmiti-lo a qualquer momento, principalmente no HSV-2.

O vírus é encontrado nas lesões, na saliva, no sêmen e nas secreções vaginais. A transmissão por objetos, como copos e talheres pode ocorrer, mas é menos comum, uma vez que o vírus sobrevive poucas horas fora de um organismo vivo. O período de incubação, ou seja, o intervalo de tempo entre o contágio e o aparecimento dos sintomas, é de 4 dias, em média.

Como é feito o tratamento?

Quando aplicados e fixados ao local, na forma de cremes e gel, os medicamentos locais funcionam como limitadores do contato das lesões herpéticas com as mãos, língua e lábios, prevenindo a autoinoculação das áreas vizinhas. Também diminui a possibilidade de contato dos herpéticos com outras pessoas, diminuindo o risco de contágio. A aplicação desses medicamentos deve ser sempre realizada com espátulas ou cotonetes, para evitar o contágio dos dedos e mãos.

herpes pomada

Os medicamentos aplicados localmente podem funcionar como poderosos placebos e protetores oclusivos locais. Entre esses, têm-se pomadas e cremes com agentes antivirais de efetividade reduzida localmente, embora a maioria desses mesmos agentes, quando administrados sistemicamente, seja muito eficaz. Pomadas e remédios que são utilizados normalmente:

  • Zovirax
  • Aciclovir
  • Valtrex
  • Penvir Labia
  • Fanclomax (uso oral)

Conclusão

Bom pessoal, lembramos que o herpes tem de ser encarado e levado a sério, com ajuda médica total. Recomendamos que ao menor sinal di surgimento dele, você procure seu médico e faá os exames e tratamentos que ele recomendar. Não fique apenas se auto medicando em sites da Internet,ok? Nosso site não se responsabiliza pelo mal uso das informações aqui apresentadas que são de domínio público na Internet.

Dúvidas ou sugestões de outros artigos, podem usar os comentários!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *