Rivotril: por que é tão consumido?


 Será que o ansiolítico é prescrito adequadamente? Clique aqui e confira porque ele é tão consumido e quando o consumo em excesso pode ser um problema!

rivotril1-danos

Esse medicamento está na frente de remédios para dor de cabeça e febre. Fica atrás apenas de analgésicos, anticoncepcionais e mais uma lista de medicamentos. É o sétimo em vendas em todo o Brasil.

Por isso, é de se desconfiar quando um remédio necessariamente controlado, de tarja preta, se torna um dos medicamentos mais vendidos no País. Será que realmente há tanta gente que precisa disso?  Siga essa leitura e tire suas conclusões.

Para que serve o rivotril?

Além de ser ansiolítico (agir contra a ansiedade), o remédio é anticonvulsivante e poderoso relaxante muscular (e por isso é usado muitas vezes para tratamento de quem tem dificuldades em dormir), é também usado para casos de overdose de anfetamina. Portanto é um medicamento que deve ser consumido apenas por indicação médica.

Algumas pessoas fazem uso de Rivotril por conta própria e em sua maioria mulheres, que carregam esse medicamento dentro da bolsa, além do celular, batom e da chave de casa. Algumas afirmaram ganhar seu primeiro comprimido de amigas,  uma espécie de”ajudinha”  quando algo não vai bem , ou quando aconteceu um término de um relacionamento. O medicamento está tão íntimo de alguns e tão banalizado pelas pessoas, que até ganhou um apelido carinhoso: “o Rivs”!

Efeito: bem-estar?

Quem consome, considera esse medicamento a maior invenção da humanidade para os problemas emocionais. Entretanto, o problema não é apenas o vício e a dependência que o consumidor de Rivotril cria, mas o problema sério no atendimento médico ao paciente também. Basta dizer que não está bem e o médico logo receita o ansiolítico. Cria a sensação de bem-estar, mas não resolve o real problema.

Diante de tal situação, percebe-se uma glamorização no ato de medicar-se, pois os remédios psiquiátricos foram desmistificados e, hoje, são indicados até por quem não atua na área da Psiquiatria e assim, as emoções normais e importantes para a mente, como tristeza ou ansiedade em situação de perigo, são eliminadas porque incomodam!

Para refletir!

O remédio, quando usado corretamente e com acompanhamento médico e psicológico, tem sim propriedades importantes que podem ajudar alguns tratamentos, principalmente para a ansiedade, mas para obter um resultado positivo, precisa de outros fatores como:

  • terapia com psicólogo;
  • exercício físico;
  • antidepressivo (dependendo do caso);
  • acompanhamento psiquiátrico;

Por isso, o ansiolítico serve como uma” muleta”, uma espécie de apoio até todos os fatores juntos façam efeito e a pessoa se restabeleça de seu problema emocional.rivotril-falsa felicidade

Cilada!!! Atenção!!
Mesmo com acompanhamento, é preciso cautela. Rivotril causa dependência e não deve ser usado por muito tempo. O ideal é que ele seja usado apenas nas crises intensas e por no máximo seis semanas. Para quem é vítima do vício, podem aparecer crises de abstinência aguda.

A facilidade de manter o uso indiscriminado do remédio tem um motivo preocupante: o acesso simples a um medicamento que é controlado. Apesar de ser vendido apenas com receita médica, não é tão difícil consegui-lo de outras formas. O outro fator essencial para o sucesso de vendas do remédio é o preço baixo. É possível comprar uma caixinha com 30 comprimidos por apenas 9 reais.

Responsabilidade: segurar a onda é possível!rivotril-sociedade

A ideia de que todo mundo deve estar o tempo todo feliz provoca essa busca incessante por qualquer coisa que mascare uma tristeza, uma dor, um mal estar emocional.
A verdade é que ninguém mais quer enfrentar a infelicidade e, por isso, há uma enorme busca por qualquer coisa rápida que esconda esse momento. Isso é um problema sério de saúde pública!!

A população e especialistas no assunto precisam entender que algumas sensações e vivências são importantes para suportar a vida e encarar o mundo. Nem tudo pode ser medicalizado e por isso as emoções não devem estar “anestesiadas”.

É sempre bom lembrar que a vida é para ser vivida com responsabilidade e plenitude!

Gostou desse artigo? Deixe seu comentário ou sugestão no espaço abaixo. Seja sempre bem vindo!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *