Reeducação alimentar: como funciona?


A reeducação alimentar é a maneira mais eficaz para emagrecer comendo de tudo. A dieta inclui todos os tipos de alimentos e controla somente a quantidade de cada um. Saiba como funciona!

O processo de emagrecimento geralmente vem acompanhado de dietas malucas e que prometem fazer milagre ao eliminar alguns tipos de alimento do cardápio. Porém, o organismo necessita de nutrientes diversos para se manter saudável, excluir substâncias da alimentação não é a melhor maneira de conquistar o corpo dos sonhos.

Chegou a hora de adotar uma alimentação saudável. (Foto: Divulgação)

Chegou a hora de adotar uma alimentação saudável. (Foto: Divulgação)

Como funciona reeducação alimentar?

A reeducação alimentar contribui com a perda de peso de forma saudável, os adeptos são orientados pelos nutricionistas a se alimentar de maneira mais variada, incluindo todos os tipos de substâncias orgânicas no cardápio. A restrição acontece somente com a quantidade de comida, definida de acordo com o IMC (índice de massa corporal).

O processo de reeducação alimentar é longo e exige muita disciplina. A maioria das pessoas que estão acima de peso, provavelmente se manteve por muito tempo em uma zona de conforto, onde o sedentarismo e a alimentação com comidas pouco benéficas ao organismo faziam parte da rotina.

Para se adaptar e conseguir mudar hábitos alimentares antigos é preciso trabalhar aspectos físicos, nutricionais e emocionais. Na idade adulta, o estilo de vida já está enraizado, pois é um conjunto de costumes que se fortaleceram ainda na infância por influência dos familiares. Portanto, quanto mais cedo iniciar a reeducação alimentar, mais fácil é para o indivíduo.


Você vai precisar de força de vontade e disciplina para mudar os hábitos alimentares. (Foto: Divulgação)

Você vai precisar de força de vontade e disciplina para mudar os hábitos alimentares. (Foto: Divulgação)

Além de respeitar o novo cardápio, durante a reeducação alimentar é fundamental reconhecer a importância das atividades físicas, caminhadas, esporte ou musculação potencializa o efeito e faz emagrecer ainda mais rápido.

Dicas para reeducação alimentar

Identificar os erros alimentares é o primeiro passo para se reeducar. Os alimentos industrializados com alto teor de sódio e açúcar devem ser eliminados do cardápio, é importante ter a percepção da quantidade de comida ingerida por refeição e o intervalo de tempo entre cada uma delas antes de mudar os hábitos alimentares.

 A adequação nutricional pode acontecer de maneira gradativa, é fundamental incluir na alimentação frutas, verduras, legumes, hortaliças, leite e derivados, carne branca e vermelha. Comer doces não é proibido, desde que seja em pequena quantidade. Também vale a pena substituir o refrigerante pelo suco natural, de preferência sem adição nenhuma de açúcar.

O intervalo entre cada refeição deve ser de exatamente três horas:

– Café da manhã: deve ser composto por alimentos como pão, algumas fatias de peito de peru, leite e frutas.

– Lanche da manhã: tem que ser leve para não cortar o apetite, como sugestão, uma barrinha de cereais.

– Almoço: 3 colheres (de sopa) de arroz, ½ concha de feijão, 1 bife ou filé de frango (grelhado), 2 colheres (de sopa) de alguma hortaliça ou legume, salada. Como sobremesa, uma fruta!

– Lanche da tarde: Também deve ser leve, aproximadamente três horas após o almoço. Iogurte natural é uma ótima opção.

– Jantar: duas colheres (de sopa) de arroz, salada com mais de uma verdura e filé de peixe (grelhado).

– Lanche da noite: As frutas são a melhor opção, pois são alimentos leves e não interferem na qualidade do sono.

A reeducação alimentar tem uma série de benefícios, o principal objetivo de quem adere ao método é emagrecer, mas ela também serve para reduzir o colesterol, diminuindo assim o risco de infarto.